Acne e cicatriz de acne

O que é acne?

A acne é uma doença que afeta o folículo pilossebáceo, formado por glândulas sebáceas e pelo. As glândulas sebáceas estão presentes na pele e produzem o sebo, um "lubrificante" da pele saudável para impedir o seu ressecamento.
Há fatores que aumentam exageradamente a produção do sebo, fato que se relaciona ao aparecimento da acne. Dentre os fatores que aumentam a produção do sebo, o principal é a ocorrência de mudanças hormonais, como acontece na puberdade, justificando o porquê de a acne ser tão frequente nesta fase da vida.
Normalmente as células das camadas mais externas da pele descamam gradativamente. Durante a puberdade, essas células descamam mais rapidamente, podendo ocorrer aglomeração dessas células no orifício do folículo pilossebáceo, produzindo uma obstrução deste local. Esta obstrução impede que o sebo saia pelo orifício. Este acúmulo forma o que se chama de comedão ("cravo").
A retenção do sebo libera algumas substâncias que causam irritação e, consequentemente, surge uma inflamação. Ao mesmo tempo, o sebo é um meio propício à proliferação de uma bactéria chamada Propionibacterium acnes, que intensifica a acne ("espinha").

Existe uma tendência hereditária na acne?

Sim. Se um jovem tem pais com história de acne, é provável que ele tenha acne também.

Fatores psicológicos, como o estresse, afetam o aparecimento da acne?

Fatores psicológicos e estresse podem aumentar a gravidade do quadro através de escoriações, infecção secundária por outros microorganismos e formação de cicatrizes. Alguns autores relatam que no estresse há maior secreção sebácea secundária em função do aumento de cortisol, um hormônio que afeta o funcionamento do organismo quando é produzido em excesso.

Existe alguma diferença nos fatores que desencadeiam a acne no adolescente e na pessoa adulta?

Sim. A acne do adolescente é a acne vulgar, descrita acima, com maior acometimento da face e tronco. Estão presentes pústulas, comedões e oleosidade excessiva. No adulto, devem ser pesquisados distúrbios hormonais, acne por medicamentos ou cosméticos e acne ocupacional, que decorre de fatores ligados ao trabalho do paciente.

Quais são os principais tratamentos disponíveis para acne?

A acne é uma doença que precisa ser tratada independentemente da idade da pessoa. Deve-se evitar espremer e cutucar espinhas, assim como o utilizar produtos caseiros ou desconhecidos. A acne pode ser angustiante e irritantemente persistente. Suas lesões cicatrizam lentamente e, muitas vezes, quando começam a melhorar, outras parecem surgir. Dependendo da gravidade, a acne pode causar sofrimento emocional e levar à cicatrizes. Existem tratamentos eficazes disponíveis, e quanto mais cedo eles forem iniciados, menor será o risco de danos à pele e à autoestima. Conforme o grau e a intensidade da acne, o tratamento se realizará por via oral ou local, dependendo de uma avaliação criteriosa da dermatologista. Os tratamentos disponíveis para a acne incluem cremes, géis, sabonetes, antibióticos orais e isotretinoina (Roacutan®).

Quais são os principais tratamentos disponíveis para cicatrizes de acne?

Peelings químicos: quando o problema principal são as manchas residuais devido à acne. Uma sequência de peelings superficiais oferecem a segurança desejada e resultados muito significativos para o clareamento e melhora da textura da pele. Para cicatrizes puntiformes e profundas, tipo "ice pick" (picador de gelo), utiliza-se um peeling profundo dentro da cicatriz ("cross peeling"). Após a agressão química, a pele responde com neoformação de colágeno e superficialização da cicatriz.

Subcisão: quando as cicatrizes são distensíveis e desaparecem ao esticarmos a pele, ou seja, quando há uma trave de tecido endurecido (fibrose) que fixa o fundo da cicatriz na camada abaixo da pele. Neste caso, utilizamos uma técnica chamada subcisão, que se trata de uma pequena cirurgia. É realizada anestesia local injetável na cicatriz e, posteriormente, uma agulha especial, com a ponta cortante, é introduzida no centro da cicatriz e movimentada em sequências circulares abaixo da pele para rompimento das traves que seguram o fundo da cicatriz.

Preenchimento da cicatriz com ácido hialurônico: a técnica consiste em injetar o preenchedor de ácido hialurônico debaixo da cicatriz, superficializando-a. A substância tem duração em torno de 1 ano na pele. O procedimento é bem tolerado, com pouca ou nenhuma dor.

Skinbooster: aplicação do ácido hialurônico reticulado na derme para estímulo de colágeno, hidratação e, com isso, melhora no aspecto das cicatrizes.

Laser fracionado: é atualmente a tecnologia mais avançada e com melhores resultados e que sempre deverá ser empregada como acabamento dos outros tratamentos. É utilizado principalmente para as cicatrizes não distensíveis, ou seja, aquelas que não melhoram ao se esticar a pele. Os principais métodos utilizam o Laser Fracionado, como o CO2 fracionado e o Etherea 1340.

FRAXX (Radiofrequência fracionada): o princípio de tratamento é muito semelhante ao laser de CO2 fracionado, o diferencial é que a energia emitida não é luz e, sim, ondas eletromagnéticas.

Excisão e sutura simples (retirada cirúrgica das cicatrizes): utilizada em casos mais graves, para remover cicatrizes grandes com bordas irregulares. A cicatriz resultante da remoção é mais uniforme, com resultado estético melhor.